Devaneio

22 de jan de 2011

 


Não sei porque
repentinamente meu coração ficou mergulhado na sombra da tristeza...
É talvez efeito da solidão,
respondeu-me a voz da razão .
Eu já estive solitária,
mas jamais triste como agora.
Olho a noite embalsamada de perfumes primaveris
e fico sem compreender a razão do ser desta melancolia.
Tudo é belo,
o por do sol,
depois o luar cor de prata,
a noite transparente e azul...
Tu estás presente em tudo,
no luar cintilante que hoje me parece tão triste...
No sussurro da brisa que toca levemente os meus cabelos com suas mãos de sonhos...
Nas estrelas que piscam silenciosamente no céu...
Agora compreendo porque estou triste...
Tu está em toda parte,
mas não estás ao meu lado,
apesar de estares dentro de mim...
Minha alma tem frio e meu coração pulsa fortemente inquieto...
como se estivesse desfalecendo...
Se apagando aos poucos,
como todos os Sóis de minhas tardes sem ti...
Morrendo de mansinho...
como o riacho que se vai...
Ficando mudo...
como a música que termina....
Mas, o sonho retorna como o som que recomeça...
Como o novo sol,
de um novo dia...
A esperança volta...
E com ela o desejo doido...
de te ver....
de te sentir!!!

ANGERLA GOMES

0 COMENTÁRIOS:

Amigos do Blog